Maio 2013 - #edihitt agregador informativo

Pesquisar :

maio 16, 2013

Produtos naturais substituem fertilizantes e agrotóxicos

Produtos naturais substituem fertilizantes e agrotóxicos Produtos naturais substituem fertilizantes e agrotóxicos (Divulgação / Embrapa / Vinicius Benites)  


Produtos naturais ganham mercado e substituem fertilizantes e agrotóxicos


Embrapa vai lançar orgânicos e espera ganhar 20% do mercado.
Outra tecnologia nacional troca agrotóxicos por vespas e conquista produtor.

 



Amanda Rossi Do Globo Natureza, em São Paulo



Em abril, Embrapa vai lançar dois fertilizantes orgânicos produzidos a partir de resíduos poluentes. (Foto: Divulgação / Embrapa / Vinicius Benites) 
Em abril, a Embrapa vai lançar dois fertilizantes
orgânicos produzidos a partir de poluentes
(Foto: Divulgação/Embrapa/Vinicius Benites)


Quarto maior consumidor de fertilizantes e um dos líderes mundiais no uso de agrotóxicos, o Brasil começa a expandir duas novas tecnologias naturais para aumentar a fertilidade dos solos e combater pragas. Resultado de pesquisas nacionais, os fertilizantes orgânicos da Embrapa e o controle de pragas com uso de vespas e ácaros, da empresa brasileira BUG, são opções sustentáveis que garantem a produtividade e saúde da lavoura.
Veja galeria de fotos
A primeira novidade será lançada pela Embrapa no início de abril e deve estar disponível no mercado em breve. A partir de resíduos agroindustriais poluentes, como fezes de porco, a empresa desenvolveu dois tipos de fertilizantes orgânicos, tão eficientes quanto os tradicionais segundo a Embrapa. Por reaproveitar os resíduos, a tecnologia é considerada um tipo de reciclagem.
Um dos fertilizantes já tem nome. É o “agroporco”. O outro, ainda sem nome oficial, é produzido a partir de um resíduo da produção de frango de corte, chamado cama de aviário. A eles são misturados minerais, que ajudam na penetração dos nutrientes no solo.
Mercado
A nova tecnologia pode transformar o mercado brasileiro de fertilizantes. A expectativa é que em 20 anos ela abasteça até 20% da necessidade nacional e diminua a dependência internacional - hoje, 75% dos fertilizantes consumidos no Brasil são importados, segundo a Embrapa Solos.

Além disso, esta pode ser uma importante tecnologia para tratar os resíduos agroindustriais, que podem contaminar o meio ambiente e são produzidos em alta quantidade no Brasil - que possui um dos maiores rebanhos mundiais e é um grande criador de frango de corte.
“Importamos muito fertilizante e temos muito resíduo animal no Brasil, que é um passivo ambiental. A tecnologia resolve os dois problemas. Estamos falando de [abastecer] 20% da demanda nacional de fertilizante. É algo fantástico”, afirma José Carlos Polidoro, pesquisador da Embrapa Solos.
Segundo Polidoro, os fertilizantes organominerais podem ser mais eficientes que os tradicionais e são mais adequados à região tropical, já que liberam mais rapidamente os nutrientes. Além disso, eles têm “menor potencial de provocar problemas ambientais”, ou seja, de contaminar águas e solos.
Os fertilizantes orgânicos foram testados centro tecnológico da Comigo, parceiro da Embrapa, em no Rio Verde (GO). (Foto: Divulgação / Embrapa / Vinicius Benites)Os fertilizantes orgânicos foram testados no centro tecnológico da Comigo, parceiro da Embrapa, em Rio Verde (GO) (Foto: Divulgação/Embrapa/Vinicius Benites)
Vespas e ácaros
Outra opção natural e eficiente para a agricultura é o controle biológico de pragas, que está conquistando produtores, pequenos e grandes, e ganhando reconhecimento no mercado. O destaque nacional é a empresa BUG, sediada em Piracicaba (SP), que entrou na lista das 50 empresas mais inovadoras do mundo em 2012, da revista americana de empreendedorismo “Fast Company”.

Dividindo a lista com gigantes como Google, Facebook e Amazon e desbancando grandes empresas nacionais como Petrobras e Embraer, a BUG nasceu nos laboratórios de duas importantes universidades brasileiras: a Unesp e a USP. Os sócios da empresa fizeram faculdade juntos e depois voltaram a se encontrar no mestrado. Em seguida, eles desenvolveram uma forma de aplicar as pesquisas acadêmicas em larga escala.
“Na universidade, já havia sido desenvolvido um sistema de produção [de controle biológico de pragas] em pequena escala, com o qual nós também colaboramos. Nós pegamos este sistema e desenvolvemos tecnologia para aplicá-lo em massa. Hoje temos biofábricas, produzimos organismos e levamos isto para o campo”, conta Marcelo Poletti, um dos sócios da BUG.
O princípio do controle biológico aplicado é combater pragas com insetos parasitas. Na BUG, são produzidas vespas do gênero Trichogramma. Elas atacam ovos de mariposas e borboletas e combatem a lagarta, grande inimiga de importantes lavouras, como cana e soja. Além disso, a BUG produz ácaros que combatem inimigos de plantações de hortifrutis e flores.
Os inimigos naturais substituem os agrotóxicos, que podem contaminar os alimentos, o meio ambiente e a saúde de quem faz a aplicação. Além de ecológica, a alternativa chega a ser mais eficiente que os químicos, cujo uso contínuo pode fazer as pragas ficarem resistentes. “A resistência da praga ao inseticida acaba prejudicando muito a aplicação [de agrotóxico]. Já com o controle biológico isso não acontece. A praga não fica resistente ao predador, à vespinha ou ao ácaro”, explica Poletti.
Na aplicação, cartelas de ovos de vespas são colocadas na plantação. Quando elas nascem, o controle de pragas ocorre naturalmente. Os produtos são registrados no Ministério da Agricultura, na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e no Ibama. Ao contrário dos agrotóxicos, as embalagens não contêm o símbolo da caveira.
Marcelo Poletti, agrônomo e um dos diretores da BUG, em laboratório na unidade de Charqueada


Embrapa

“Vamos oferecer dois produtos específicos e tivemos que fechar uma fórmula. Mas existe uma variedade muito grande de fórmulas possíveis para fertilizantes organominerais”, conta Vinicius Benites, também pesquisador da Embrapa Solos. Por isso, existe a possibilidade de oferecer novas linhas no mercado.

A partir do lançamento oficial dos produtos, a ideia da Embrapa é estimular a criação de unidades de produção em pequena e média escala em todo o Brasil. “Nosso interesse é estimular a indústria. Aí sim, esse tipo de fertilizante poderá abastecer no futuro até 20% da demanda nacional”, explica Polidoro.
A tecnologia, desenvolvida pela Embrapa há 5 anos, foi finalizada em 2011. Mas ela só começa a ser transferida em 2012 devido ao tempo necessário para registrar patentes. “Agora a tecnologia está pronta para ser transferida. Sabemos que ela é viável e temos estimativas de custos de produção”, comenta Vinicius Benites. Uma fábrica para produzir 30 mil toneladas de fertilizante organomineral, por exemplo, teria um custo de instalação de cerca de R$ 4 milhões.
Além da produção comercial, a tecnologia pode ser usada para resolver problemas ambientais. É o caso da hidrelétrica de Itaipu, que está preocupada com a segurança da qualidade da água do reservatório devido a uma possível contaminação por resíduos da suinocultura, forte na região. Juntas, Embrapa e Itaipu estão desenhando um projeto para produzir fertilizantes organominerais e eliminar os resíduos.
 O controle natural de pragas é feito com insetos parasitas. Na imagem, a vespa flavipes parasita a broca-da-cana. (Foto: Divulgação / BUG / Heraldo Negri) O controle natural de pragas é feito com insetos parasitas. Na imagem, a vespa flavipes parasita a broca-da-cana (Foto: Divulgação/BUG/Heraldo Negri)
BUG
Já a aplicação do controle biológico de pragas já é uma realidade. As vespas da BUG, por exemplo, atendem mais de 500 mil hectares de plantações de cana no Brasil, principalmente em São Paulo, Mato Grosso e Goiás. Os ácaros estão presentes em outros mil hectares de hortifruti.

Além da BUG, outras empresas exploram o controle biológico e planejam aumentar sua participação no lucrativo mercado de combate a pragas agrícolas. A Associação Brasileira de Controle Biológico já conta com mais de 19 empresas, que também trabalham com fungos e bactérias.
“No Brasil, o controle biológico representa apenas 1% do valor da receita obtida com a venda de agrotóxicos. O que nós estimamos, sendo muito otimistas, é que em 5 anos vamos chegar em 8%. Hoje já temos grandes multinacionais investindo no setor, o que vai ajudar a aumentar esse número”, afirma Poletti.
Uma barreira para a expansão do controle biológico é a resistência dos agricultores, que está diminuindo. “Nós apresentávamos o produto para o agricultor e ele dizia: 'eu já tenho problemas com inseto, você quer trazer mais inseto?'”, conta o sócio da BUG. “Eles achavam que as vespas e os ácaros iam causar danos à cultura. Muitas pessoas nunca imaginaram que os insetos poderiam ser usados com essa função e estão descobrindo isto agora.”
O agricultor Adalberto Granghelli, que planta tomate em Jaquariúna (SP), é um deles. “Eu comecei [a usar as vespas] meio incrédulo. Comecei fazendo testes em pequenas áreas e hoje uso em toda a plantação, substituindo algumas aplicações de agrotóxico. Meus funcionários também não acreditavam e hoje reclamam quando eu não compro os ovos”, comenta ele, satisfeito com a nova tecnologia.
O custo para o produtor é, segundo a BUG, menor que o da aplicação de agrotóxicos. “Inicialmente, quando é feita a transição do convencional para o biológico, o custo é o mesmo. Mas, quando se considera todo o ciclo da cultura há uma economia de 30 a 40%”, diz Poletti. Uma alternativa que, além de ecológica, pode ser mais eficiente e mais econômica.

tópicos:

veja também


fonte: g1
maio 14, 2013

Capas Para Facebook

maio 14, 2013

Lindos momentos...Rosana Madjarof...fixe neles somente...Você é BELA e seu Xorrim também (:

http://item.slide.com/r/1/0/i/fnPnx19z6j9sYBmXTSfu7ZhGfDbt9xzd/


Não odeie.
 
Quem odeia não aceita explicações, não analisa, não pondera, não pensa. Quer a destruição, o mal, a desgraça.


Deixa-se levar, sem freios, sem modos, sem direção. O rosto se transfigura, o olhar fere, a palavra maltrata.

 
O ódio não merece estar com você. É para o amor que você deve se inclinar.


Por favor, ame.

 
Um sentimento de amor, por menor que seja, derruba uma montanha de ódio.

---------------------------------------
Sou feliz porque não conheço a dor como infelicidade.
Infelicidade é criar dor e não passar por ela. "

---------------------------------------

---------------------------------------
"     Tudo tem seu tempo, e até certas manifestações mais vigorosas e originais entram em voga ou saem de moda. Mas a sabedoria tem uma vantagem: é eterna."   (Baltasar Gracián)
-------------------------------------
A sabedoria própria dos sábios consiste em uma extraordinária dose de bom senso. "       (Reitor W.R. Inge)
-------------------------------------




maio 14, 2013

Video Clipe - Rapte-me Camaleoa

maio 14, 2013

imagens de leão branco

fonte:
imagesgoogle

Leão.
420 x 320 - 23k - jpg
tatico.wordpress.com
Leão Branco -
400 x 300 - 17k - jpg
achetudoeregiao.com.br
Leão Branco
1024 x 768 - 148k - jpg
imotion.com.br
leao branco
400 x 265 - 35k - jpg
programasinalverde...
Leão branco
500 x 375 - 213k - jpg
temptationfromyou...
leao branco
600 x 450 - 117k - jpg
sayrakidos...
Sporrrrrrrting.
400 x 285 - 21k - jpg
mariareosa.blogspot.com
Filhotes de leão
286 x 320 - 14k
joycecoisasminhas...
Um leão branco,
600 x 400 - 46k - jpg
frescaseboas...
Leão Branco
266 x 193 - 7k - jpg
achetudoeregiao.com.br


de leão branco
500 x 356 - 41k - jpg
anapakulski...



às 2:14 am (Leão
960 x 640 - 129k - jpg
felinos.wordpress.com


Leão Branco
396 x 276 - 33k - jpg
douradosvoadores...
Filhotes de leão
595 x 424 - 56k - jpg
biowilson.blogspot.com
animal leão
390 x 435 - 26k - jpg
zaroio.com.br












maio 14, 2013

Leão branco.

Leão branco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.



Wikipedia:Como ler uma caixa taxonómica
Leão branco
Leão-sul-africano leucístico
Leão-sul-africano leucístico
Estado de conservação
Status iucn3.1 EW pt.svg
Extinta na natureza
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Felidae
Género: Panthera
Espécie: P. leo
Subespécie: P. leo krugery
Nome binomial
Panthera leo
Lineu, 1758
Sub-espécies
Ver texto.

Biografia

O leão branco constitui uma rara mutação de cor do leão-sul-africano (Panthera leo krugeri), devida a uma particularidade genética chamada leucismo. Não constitui uma subespécie. Distingue-se dos outros apenas pela sua pelagem muito clara, quase branca, causada por anomalias em seus genes. Os seus olhos são dourados ou azuis.
Esta característica não acarreta problemas fisiológicos – ao contrário do albinismo, o leucismo não confere maior sensibilidade ao sol. No entanto constitui uma desvantagem, pois reduz a sua capacidade de camuflagem na caça às suas presas.

Dois leões brancos em um Zoo da França.
Estes leões nunca foram muito vulgares na natureza. O gene que confere esta característica é recessivo, e apenas se revela quando são cruzados indivíduos portadores do gene mutante. Este cruzamento é feito propositadamente em zoológicos e por essa razão é nestes onde existe o maior número de indivíduos. Apareciam também na reserva de Timbavati e no parque Kruger, na África do Sul, mas desde 1993 não são avistados, estando provavelmente extintos na natureza.
Existem também leões brancos por albinismo; esses possuem os olhos vermelhos e apresentam grande sensibilidade ao sol.

Religião

Os povos da África do Sul tinham crenças religiosas relacionadas ao leão branco. Ele era relacionado à prosperidade e à abundância e sua presença era uma espécie de dádiva divina. Também eram muito venerados pelos povos locais, que acreditavam que sua cor branca era um sinal da benevolência que deveria existir dentro de todos os seres vivos. A também a crença de que uma vez caiu um asteróide e que uma mulher entrou nele. Alguns dias depois ela voltou como uma leoa branca

Ver também


contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

parceiros:





Marcadores

YouTube channel

YouTube channel

EdiArtes


...
...youtube...
...


"Aquele que trabalha com suas mãos é um trabalhador manual; ...
aquele que o faz com suas mãos e sua cabeça é um artesão, porém aquele que trabalha com mãos, cabeça e coração é um artista
" (fonte: desconhecida)

Postagem em destaque

Duquesa de Cambridge é coroada ícone número um da moda real - batendo Meghan Markle

... ► Duquesa de Cambridge é coroada ícone número um da moda real - batendo  Meghan Markle ◄ Duquesa de Cambridge é coroada í...

Popular

💯🆓🔽⬇⬇⬇⬇⬇venha fazer parte...seguidores daqui 🆗🟢🔝🔝🔝🟢💯🆓🔽⬇⬇⬇⬇⬇

CURTIR






Arquivados